As companhias são um alvo muito visado por criminosos. Segundo um artigo da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), no ano de 2016, as empresas de transporte tiveram um prejuízo de 1 bilhão de reais com roubos de cargas. Devido a isso, muitas instituições estão investindo em segurança patrimonial.

Mas como equipamentos de vigilância podem proteger uma empresa? Quais são as tecnologias existentes para garantir a guarda do patrimônio de uma instituição? Neste artigo, vamos responder a essas perguntas. Confira!

Quais são as tecnologias para a segurança patrimonial?

Vamos listar os equipamentos de segurança mais utilizados pelas empresas e entender a proteção que eles oferecem. Acompanhe:

1. Câmeras de segurança

Pode-se dizer que as câmeras de segurança são um ponto de partida para a construção de um sistema de monitoramento eficiente — e, no mercado da vigilância, existem vários tipos.

As câmeras de alta resolução, por exemplo, têm visão de longo alcance e sistemas de lentes com regulagem e compensação de luz. Desse modo, é possível obter imagens de alta precisão, o que facilita na identificação de criminosos e pessoas mal-intencionadas.

Outra câmera muito utilizada é a Internet Protocol (IP). Além da alta qualidade de imagem, esse equipamento pode ser acessado e controlado remotamente por meio da rede (internet ou intranet). Todos os arquivos de vídeo e áudio são armazenados em nuvem e podem ser vistos pelo usuário a qualquer hora e lugar.

Já as câmeras infravermelhas são muito eficientes em locais de baixa luminosidade. Elas possuem lentes especiais que iluminam um ambiente escuro e captam imagens de excelente qualidade. Já para locais mais amplos, as câmeras speed dome são as mais indicadas, pois conseguem fazer imagens panorâmicas de longo alcance e com riqueza de detalhes. Esse equipamento pode ser manuseado com o auxílio de controle remoto.

2. Alarmes

Os sistemas sonoros de segurança ou alarmes ainda são uma forma muito eficiente de proteger o patrimônio da empresa. Principalmente, quando a instituição tem objetos valiosos ou guarda dinheiro em seus aposentos.

Com o passar do tempo, esse equipamento sofreu melhorias e, atualmente, com a ajuda da tecnologia, há vários tipos de alarmes disponíveis. Um exemplo são os sensores de presença, que, por meio de lentes, captam a movimentação de massas quentes em uma determinada área.

Há, ainda, os sensores infravermelhos que geram sinais de luz invisíveis aos olhos humanos. Assim, caso um invasor atravesse um desses feixes luminosos, o alarme é acionado. Algumas empresas preferem o monitoramento feito por transmissores de micro-ondas. Essa tecnologia é extremamente sensível, pois, ao contrário do alarme infravermelho, as micro-ondas não precisam ser interrompidas para que o sistema de segurança seja acionado.

3. Portaria

Normalmente, uma entrada tradicional, em empresas, possui vários porteiros e guardas, responsáveis por identificar pessoas e veículos — permitindo ou não o ingresso nas dependências da instituição.

No entanto, ferramentas desenvolvidas pela tecnologia introduziram, nas organizações, a portaria virtual ou e-portaria. Com esse sistema, a supervisão da entrada e saída de funcionários e visitantes é feita remotamente por profissionais, localizados em uma central de monitoramento.

Para facilitar a identificação, os colaboradores possuem uma etiqueta inteligente (tag rifd) que permite o acesso automático. Além disso, algumas portarias possuem o leitor biométrico em suas cancelas ou catracas, aumentando o nível de segurança. Essa tecnologia armazena todas as impressões digitais dos profissionais que trabalham na empresa. Sendo assim, dificilmente uma pessoa não autorizada conseguirá ter acesso ao ambiente interno da instituição. Por outro lado, os visitantes precisam entrar em contato com a central para obter essa permissão.

Para acessar a garagem, os moradores precisam ter um chaveiro criptografado (ou tags) que acionam a abertura dos portões. E para uma proteção ainda maior, podem ser instalados leitores biométricos e câmeras — utilizados para identificar os indivíduos e os carros que acessam o local.

Todo o sistema da portaria remota conta com uma estrutura de circuito fechado de televisão (CFTV), além de alarmes e links de internet, que permitem o bom funcionamento dos equipamentos. Para uma segurança patrimonial mais efetiva, algumas empresas usufruem dos recursos da tecnologia, mas sem abrir mão dos vigiasconstantemente treinados para proteger os bens da companhia.

4. Fechadura eletromagnética

Há dependências na empresa onde são guardados itens e equipamentos de grande valor. Por isso, poucas pessoas podem entrar nesses locais — e para garantir esse acesso restrito, é utilizada a fechadura eletromagnética.

Esse sistema identifica o colaborador autorizado a acessar o ambiente por meio da digital, íris ou por um chip. Após a entrada autorizada, a fechadura eletromagnética é acionada para travar automaticamente a porta.

5. Drones

As máquinas voadoras — ou como são mais conhecidos, os drones — também são recursos que as empresas estão começando a utilizar para garantir a segurança. Esses equipamentos têm câmeras de alta resolução, sistema de computador conectado a uma central, motores potentes e voam com rapidez.

Os drones fazem a ronda em todo o perímetro da empresa. Quando eles detectam uma movimentação suspeita, emitem um aviso para a central, que notifica a portaria. A partir daí, os profissionais de vigilância começam a controlar a máquina para averiguar a situação. Se ficar constatada uma invasão, a polícia local é imediatamente acionada.

6. Dispositivos eletrônicos

Os aparelhos eletrônicos móveis, como os smartphones e tablets, permitem que os profissionais de segurança e os donos das empresas vigiem o patrimônio de um negócio 24 horas por dia.

Como o sistema de monitoramento pode ser conectado a todos esses dispositivos, o acesso a todas as câmeras de vigilância — inclusive dos drones — é disponibilizado para usuários previamente cadastrados. Desse modo, a segurança patrimonial fica, também, como responsabilidade dos donos e gerentes.

Apesar do aumento da criminalidade, é preciso deixar claro que a tecnologia, hoje, fornece diversas ferramentas e equipamentos que ajudam as empresas a proteger seus bens. Desse modo, você pode fazer uso dessas inovações para assegurar o patrimônio de sua corporação.

Agora que você viu as diversas tecnologias disponíveis no mercado para a segurança patrimonial, aproveite para ler também o que todo gestor de condomínios precisa saber sobre segurança e aumente o seu conhecimento sobre o assunto.