Em qualquer espaço onde as pessoas circulam, os cuidados com a segurança devem ser prioritários. Por isso, a inspeção predial é fundamental para certificar que edifícios, condomínios, shoppings e outros estabelecimentos tenham condições necessárias para garantir o bem-estar dos usuários.

E você, sabe por que é importante realizar a inspeção predial? Sabe quais são os profissionais habilitados a fazer esse trabalho e qual o período ideal para vistoria de edifícios?

Quer conhecer as vantagens desse procedimento para a manutenção das instalações e até mesmo para a economia de recursos? Então não deixe de conferir o post!

O que é inspeção predial?

É a vistoria de uma edificação ou conjunto de instalações para avaliar suas condições técnicas, funcionais e de conservação. A inspeção verifica a segurança, determina medidas preventivas ou corretivas e direciona o plano de manutenção do local.

O procedimento é um conjunto de exames visuais utilizados para avaliar a capacidade funcional de uma edificação. O profissional especializado ainda compara o projeto inicial às alterações feitas, com o objetivo de prevenir acidentes e oferecer seguridade.

Ao final da vistoria, o profissional habilitado atesta as condições de segurança e estabilidade da edificação por meio de um laudo. Nele, são descritos os problemas detectados e há uma orientação para as manutenções indicadas.

Quem realiza a inspeção predial?

É importante ressaltar que a inspeção predial é uma atividade multidisciplinar. Por isso, algumas áreas específicas exigem a avaliação de um profissional especializado.

Esse é o caso das instalações elétricas e para-raios, que dependem da vistoria de um engenheiro eletricista. Já o sistema de elevadores é verificado por um engenheiro mecânico.

Quanto à estrutura física, os profissionais mais preparados para realizar a vistoria são o arquiteto e o engenheiro civil, devido à experiência no gerenciamento de construções e planejamento de ambientes.

Quando a inspeção predial deve ser realizada?

É importante realizar uma inspeção na ocasião da entrega da obra, com a devida elaboração de um laudo. Essa primeira verificação atesta se a construção realmente foi realizada de acordo com o planejado pelos responsáveis.

A segunda inspeção predial deve ser feita antes de a construção completar 5 anos. Ela é fundamental, pois nesse período podem surgir defeitos ou problemas que não eram passíveis de identificação na primeira avaliação — e os condôminos ou compradores ainda podem exigir reparos dentro do prazo de garantia do imóvel.

A partir desse ponto, as vistorias seguintes são programadas de acordo com a periodicidade indicada pelo engenheiro perito que realizou o serviço — que pode variar de 3 a 5 anos. Isso, porém, depende do tempo de construção, dos elementos utilizados na obra e até mesmo da finalidade do edifício.

O que diferencia a inspeção predial e a manutenção regular?

A inspeção predial tem o objetivo de avaliar a estrutura e, principalmente, detectar aspectos que precisam de correção. O perito vistoriador tem a liberdade e a responsabilidade de examinar e apontar esses problemas, pois a segurança das pessoas que circulam no ambiente depende dessa avaliação — e, por isso, ela não pode ser direcionada.

De forma completamente diferente, o serviço de manutenção regular é direcionado por um contratante. Seja ele realizado por pessoal interno ou por profissionais terceirizados, é o gestor quem determina os reparos que serão feitos.

O ideal é que a manutenção siga um plano de ação elaborado pelo profissional que fez a inspeção predial. Nesse caso, o gerente tem a certeza de que a conservação será feita de acordo com as prioridades identificadas durante a inspeção. Seu foco será reparar os problemas causados pelo uso e desgaste natural que ocorrem nos ambientes.

Quais são as vantagens da inspeção predial?

A realização rotineira de inspeções agrega uma série de benefícios ao ambiente. Entre as principais, podemos destacar:

  • manutenção das condições funcionais e de segurança de um ambiente;

  • possibilidade de planejar as intervenções com antecedência e programar os investimentos em conservação em um orçamento pré-definido;

  • obter um plano de ação que direciona os serviços de manutenção, evitando gastos desnecessários;

  • oportunidade de realizar ações preventivas, evitando a interdição emergencial dos espaços;

  • detecção precoce de problemas, tornando sua solução mais simples, reduzindo custos e minimizando o impacto;

  • evitar reparos emergenciais, que têm um custo muito superior ao das ações preventivas;

  • garantir que o espaço esteja sempre em ótimas condições, promovendo o bem-estar dos usuários;

Como funciona a Lei de Inspeção Predial?

Essa lei não é federal. Isso significa que os estados e municípios têm plena liberdade para definir as práticas exigidas em cada região.

Algumas das cidades que exigem algum tipo de inspeção são:

  • Porto Alegre (RS);

  • Florianópolis (SC);

  • Balneário Camboriú (SC);

  • Bauru (SP);

  • Jundiaí (SP);

  • Ribeirão Preto (SP);

  • Santos (SP);

  • São Vicente (SP);

  • Rio de Janeiro (RJ);

  • Belém (PA);

  • Fortaleza (CE);

  • Salvador (BA);

  • Cuiabá (MT).

No entanto, existem muitas diferenças nas regulamentações estabelecidas pelos municípios. Enquanto alguns determinam a inspeção apenas de prédios comerciais, outros exigem a vistoria também dos edifícios residenciais. As exigências quanto à documentação também variam.

Além disso, há uma série de projetos de Lei prevendo a obrigatoriedade da inspeção — e eles podem ser aprovados e entrar em vigor a qualquer momento.

Portanto, a melhor forma de evitar sanções é manter-se atento às determinações da prefeitura local. Assim, você realiza os procedimentos estipulados e obtém a documentação necessária, evitando problemas futuros.

Como se preparar para a inspeção predial?

Sempre é válido lembrar que a realização da inspeção predial e das ações corretivas que ela orienta são fundamentais não só para evitar multas, mas principalmente para não comprometer a segurança e bem-estar das pessoas que circulam no ambiente. Nos locais comerciais, ela é um fator importantíssimo para a satisfação do cliente.

A adoção de um plano rotineiro que identifique problemas e permita sua correção — ou até mesmo prevenção — é a melhor forma de resguardar esses locais.

As verificações de rotina devem observar:

  • elementos estruturais aparentes;

  • conservação dos sistemas de vedação, tanto internos quanto externos;

  • estado de conservação dos sistemas de revestimento, o que inclui a fachada dos edifícios;

  • ocorrência de infiltrações, que são indícios de perda de desempenho dos sistemas de impermeabilização;

  • sistemas de esquadrias;

  • instalações hidráulicas (água fria, água quente, esgoto sanitário, águas pluviais, reúso de água e esgoto);

  • sistemas de distribuição de gás;

  • instalações elétricas e geradores;

  • sistema de elevadores;

  • para-raios.;

  • sistema de combate a incêndio;

  • sistema de coberturas (telhados, calhas e rufos);

  • condições de acessibilidade.

Entendeu como funciona a inspeção predial e de que forma e como é possível se preparar para ela?

Gostou do conteúdo? Siga nossa página no Facebook, Twitter e LinkedIn para ter acesso a muitas dicas e informações indispensáveis à gestão de facilities. Nos encontramos por lá!