O crescimento acelerado das cidades, e a ocupação desordenada de espaços são fatores que contribuem para a degradação ambiental. A expansão continuada dos centros urbanos provoca impactos bastante significativos nos principais indicadores econômicos e sociais dessas regiões. Por isso, é preciso encontrar soluções para questões que envolvem mobilidade, habitação e conservação.

Nesse contexto, a manutenção de áreas verdes ganha ainda mais importância ― seja para garantir o equilíbrio microclimático, para criar opções de lazer e convívio ou para evitar prejuízos em curto, médio e longo prazos.

A iniciativa privada também passou a investir na defesa do meio ambiente, adotando parques, praças e jardins. Esse tipo de ação permite uma maior integração da empresa com seus colaboradores e clientes, e ainda fortalece a imagem corporativa.

Assim, é preciso entender como as áreas verdes podem modificar o atual cenário das metrópoles, garantindo mais saúde e qualidade de vida para todos. Saiba mais sobre o assunto no post de hoje!

Benefícios das áreas verdes urbanas

As áreas verdes trazem inúmeros benefícios para a população local e, também, para as empresas que apostam na sustentabilidade. A neutralização dos efeitos da poluição por meio do processo de oxigenação é um dos benefícios que merecem destaque. Com um ar mais limpo e livre de resíduos, é mais fácil evitar as alergias e os problemas respiratórios, por exemplo.

Outro importante benefício é a diminuição dos níveis de ruído. Nesse caso, os telhados verdes e os jardins verticais já se consolidaram como uma alternativa inovadora, capaz de garantir a utilização inteligente de paredes e muros.

A regulação térmica é mais uma vantagem a ser citada. Com a absorção dos raios solares e com o sombreamento, é possível reduzir a sensação de calor e a insolação direta.

As áreas verdes também diminuem a velocidade dos ventos e aumentam as taxas de umidade relativa, fazendo com que as temperaturas fiquem mais amenas ― evitando diversos transtornos, como desidratação e a fadiga. Em crianças e idosos, essas condições podem ser ainda mais perigosas.

Essa regulação térmica também contribui para uma redução do consumo de energia elétrica, uma vez que ventiladores e aparelhos de ar-condicionado ficam desligados por mais tempo.

Estudos recentes mostram que as áreas verdes desempenham um papel importante no controle de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e colesterol alto. Afinal, esses espaços encorajam a prática de atividades físicas ― que ajudam no desenvolvimento das funções cognitivas, evitam os quadros de depressão, aliviam o estresse, melhoram o sono e fortalecem o sistema imunológico.

Além disso, espaços arborizados limitam a impermeabilização do solo e, assim, colaboram com a retenção das águas das chuvas, minimizando os danos causados pelas enchentes.

Por fim, é preciso mencionar a estética, já que o paisagismo é capaz de criar ambientes ainda mais serenos e acolhedores. Nas empresas, isso pode ser usado para alavancar os índices de motivação e de produtividade das equipes.

Dicas para manutenção de áreas verdes

A manutenção de áreas verdes exige experiência e cuidados permanentes. Por isso, algumas dicas são valiosas. Confira:

Manejo de plantas daninhas

As plantas daninhas podem comprometer o crescimento de outras espécies, afetando o equilíbrio natural. Em determinadas épocas do ano, a proliferação dessas plantas ocorre mais rapidamente. Para evitar uma infestação, é preciso atentar para a limpeza e para o manejo correto.

Adubação

Se a terra não estiver adubada, algumas mudas podem não se desenvolver adequadamente. Desta forma, é importante corrigir o terreno com a incorporação de produtos e subprodutos, orgânicos ou químicos ― com a intenção de melhorar as características físico-químicas e biológicas do solo.

Poda

Determinadas árvores precisam de podas regulares. Em alguns municípios, essa prática depende da autorização do órgão competente, mesmo em propriedades particulares. A desobediência pode resultar em multas ou até no enquadramento da Lei de Crimes Ambientais. Logo, é essencial verificar a legislação.

Irrigação

A irrigação pode ser necessária quando o volume das chuvas não é suficiente. No entanto, a frequência e a quantidade de água dependem muito das espécies escolhidas. Desse modo, fica evidente que a manutenção de áreas verdes deve ser conduzida por especialistas ― profissionais capazes de indicar quais são as melhores técnicas para cada parque ou jardim.

Controle de pragas

O controle das pragas é um ponto crítico e pode exigir o uso de pesticidas ou inseticidas. Por serem produtos com potencial tóxico, o ideal é terceirizar esse tipo de atividade. É importante lembrar que as pragas são uma ameaça à saúde, pois são agentes de contaminação e disseminação de doenças. Por isso, uma infestação deve ser tratada imediatamente.

Diversidade e adaptação das espécies

A diversidade das espécies pode contribuir para a harmonia das áreas verdes. Porém, existem fatores que interferem na adaptação dessas plantas. Desse modo, é preciso selecionar mudas que estejam acostumadas com o clima da região, dando preferência para as espécies nativas.

Contratação de serviços de manutenção

Muitos gestores costumam optar pela contratação de serviços de manutenção de áreas verdes. Afinal, não é tão simples cuidar desses espaços. De fato, é preciso ter uma expertise para lidar com uma imensa variedade de plantas, flores e folhagens.

Considerando essa complexidade, é fundamental pesquisar bastante antes de escolher uma prestadora. Nesse caso, diversos aspectos devem ser observados ― em especial, o treinamento dos profissionais, o nível de satisfação dos clientes e os itens propostos no orçamento.

Assim como acontece com os serviços de segurança, a terceirização da jardinagem e do paisagismo é muito vantajosa para empresas, indústrias, condomínios, empreendimentos comerciais, shoppings, academias, universidades e hospitais. Com o outsourcing, essas tarefas passam a ser administradas por um time capacitado — e os gestores podem manter o foco em seu core business, ou seja, dedicados exclusivamente ao negócio e às metas a serem alcançadas.

E, como os valores são previamente acordados, é possível ter previsibilidade em relação aos gastos mensais ― evitando imprevistos e despesas extras, que podem afetar o fluxo de caixa.

Ao contratar uma prestadora, é mais fácil garantir que as áreas verdes sejam sempre conservadas, para que possam beneficiar a população e todos os colaboradores.

Quer saber mais sobre a contratação de serviços de manutenção de áreas verdes e outras terceirizações? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter e fique por dentro das novidades do setor.