Ambientes com grande circulação de pessoas demandam cuidados especiais. Por isso, a limpeza de condomínio é um aspecto que exige atenção redobrada. Ela é essencial para o bem-estar e satisfação dos moradores.

Quando falamos de um local compartilhado, a limpeza não tem apenas a finalidade de higienizá-lo. Ela é fundamental para manter a saúde do empreendimento e garantir a segurança em inspeções prediais.

Embora seja necessário realizar uma faxina profunda periodicamente, a conservação diária e a atenção aos detalhes demonstra cuidado, previne o acúmulo de sujeira e assegura a durabilidade dos materiais utilizados na construção.

Vidraças e pisos manchados ou paisagismo danificado por manejo inadequado não só prejudicam o aspecto do ambiente, mas também exigem investimentos altos que afetam o bolso dos moradores.

Portanto, a limpeza de condomínio deve ser organizada com eficiência para evitar esses problemas e garantir a satisfação dos inquilinos. Quer saber como fazer isso? Confira neste post!

Qual é o melhor horário para a limpeza de condomínio?

Apesar de ser um espaço de grande circulação, a utilização das áreas comunitárias tem horários previsíveis. Por isso, a equipe pode se organizar e distribuir as tarefas para que, ao realizá-las, interfiram o mínimo possível na rotina dos condôminos.

Entre os principais exemplos estão o elevador e o hall de entrada. O trânsito de pessoas tende a ser maior no início do dia e ao anoitecer, embora também tenha um movimento um pouco maior no horário do almoço. Portanto, um bom período para realizar a limpeza é no meio da manhã ou da tarde.

Em alguns casos (como o salão de festas ou o de jogos) deve haver um cronograma semanal, de preferência fixado em local visível. Nesses horários, a reserva e utilização de tais espaços será vetada, exceto em situações muito específicas.

Quanto à piscina, é bastante comum que os condomínios fechem a área por um dia inteiro para a devida limpeza, manutenção e tratamento da água.

Qual é a rotina ideal para a higienização?

Limpeza dos pisos

Revestimentos diferentes pedem métodos distintos de cuidado. É possível mantê-los limpos e preservados seguindo as regras abaixo:

  • pisos frios: limpeza diária com pano úmido e produtos específicos;

  • pisos internos (de mármore, ardósia ou madeira): devem ser limpos diariamente com pano úmido macio e encerados semanalmente com produtos próprios;

  • pisos de pedra externos (como pátios e calçadas): podem ser varridos todos os dias e lavados semanalmente com hidrojateadora;

  • áreas acarpetadas: aspiração diária.

Periodicidade da limpeza

Para montar seu cronograma, é importante entender qual é a periodicidade ideal de higienização das diversas áreas. Veja a nossa sugestão:

Diária

  • hall de entrada;

  • elevadores;

  • banheiros;

  • sauna e vestiários;

  • academia;

  • equipamentos da portaria (como telefones, interfones e monitores);

  • brinquedoteca — se for frequentemente utilizada pelos moradores;

  • itens decorativos.

Semanal

  • playground;

  • quadras;

  • áreas comuns dos andares;

  • salão de jogos;

  • caixas de hidrantes e extintores;

  • escadas e corredores;

  • móveis e quadros decorativos;

  • higienização de bebedouros;

  • limpeza de aparelhos de ar-condicionado, ventiladores e exaustores;

  • piscina.

Nesse item, é importante destacar que a churrasqueira e o salão de festas podem ter manutenção semanal. Porém, caso esses espaços sejam utilizados entre os dias programados, é preciso limpá-los após o uso.

Quanto à piscina, ela também requer alguns cuidados especiais. A higienização do revestimento e o tratamento da água com produtos químicos deve ocorrer semanalmente. Porém, dependendo da utilização dos moradores, pode ser necessário limpar e organizar a área adjacente com uma frequência maior ou até mesmo todos os dias, especialmente no verão.

A retirada do lixo dos andares (se houver espaço de armazenamento) precisa ser diária. No entanto, se o condomínio destina um único local para os residentes depositarem os dejetos, ele deve ser limpo no dia em que é feito o recolhimento da prefeitura.

Quinzenal

  • vidros da portaria e áreas comuns;

  • enceramento de pisos internos (de madeira ou pedra);

  • lavagem dos pisos externos (como pátio e calçadas) com hidrojateadora;

  • sala de máquinas;

  • higienização de portas, maçanetas, parte interna das esquadrias metálicas e vidraças;

  • paredes.

Mensal

  • garagem;

  • escadas (lavagem);

  • janelas externas e esquadrias metálicas das áreas comuns;

  • cortinas, persianas ou venezianas;

  • grades e portões.

Semestral

  • retirar o pó de superfícies altas (como tubulações e estruturas);

  • inspeção e limpeza de reservatórios.

A definição de horários para a supervisão é tão importante quanto a higienização. O responsável deve circular pelos ambientes, verificando suas condições de uso e solicitando, se necessário, as providências a fim de corrigir as falhas.

Como cuidar do jardim do condomínio?

O paisagismo é fundamental na qualidade de vida dos condôminos e, mais que isso, é um fator importante para a valorização do imóvel. Portanto, a área verde deve ser muito bem cuidada.

Existem algumas regras direcionadas à manutenção, mas cada tipo de planta requer um cuidado diferenciado. A orientação do paisagista é indispensável a fim de estabelecer os métodos mais apropriados.

Uma opção para não errar é a contratação de um serviço especializado. Empresas terceirizadas contam com assessoria técnica para definir a rotina ideal destinada à preservação de jardins.

Regas

  • plantas expostas ao sol podem ser regadas de uma a duas vezes por semana;

  • vasos internos exigem regas menos frequentes;

  • plantas em locais altos ou que recebem muito vento geralmente ficam mais secas e necessitam de água com mais frequência;

  • em períodos quentes (como o verão), regue as plantas em dias alternados.

Manutenção

  • sempre retire as ervas daninhas;

  • adube a terra de três a quatro vezes por ano, sempre sob orientação técnica;

  • o combate aos fungos e pragas precisa ser mensal, também com a instrução de um especialista;

  • o processo de poda exige cuidados para não levar a vegetação à morte, por isso deve ser feito por um jardineiro;

  • não acrescente novas plantas sem consultar um profissional, pois suas raízes podem trazer danos à estrutura do imóvel.

É possível mudar a rotina de limpeza?

Apesar dessas orientações gerais, cada condomínio tem suas próprias características: quantidade de moradores, frequência de utilização dos espaços etc. A definição do número de funcionários necessários também deve levar esses fatores em consideração.

Condomínios com muitas crianças podem exigir a limpeza diária da brinquedoteca. Em outros casos, ela pode ser semanal. O mesmo vale para o salão de festas — se raramente ele é utilizado pelos residentes, o cuidado pode ser quinzenal ou mensal.

Além disso, durante o dia pode surgir a necessidade de realizar procedimentos não programados, como quando ocorrem vazamentos de chorume dos sacos de lixo ou o derramamento de outras substâncias. Também é importante dar uma atenção especial aos ambientes em que circulam materiais de construção em períodos de reforma.

O importante é avaliar as suas necessidades a fim de fazer um cronograma adequado para atendê-las e garantir a satisfação dos usuários.

Gostou das dicas para organizar a rotina de limpeza de condomínio? Quer ter acesso a outros conteúdos interessantes como este? Assine nossa newsletter!